A obstipação (constipação intestinal) é uma condição aguda ou crónica na qual os movimentos intestinais ocorrem com menos frequência do que o habitual ou consistem em fezes duras e secas que são dolorosas ou difíceis de passar. Os hábitos intestinais variam, mas um adulto que não tenha evacuado em três dias ou uma criança que não tenha evacuado em quatro dias é considerado obstipado.

DESCRIÇÃO

A obstipação é uma das queixas médicas mais frequentes. A obstipação pode ocorrer em qualquer idade e é mais comum entre indivíduos que resistem ao desejo de mover os intestinos ao sinal do corpo. Isso geralmente acontece quando as crianças entram na escola e sentem vergonha de pedir permissão para ir ao quarto de banho.

A obstipação é mais comum entre as mulheres do que entre os homens e é especialmente susceptível de ocorrer durante a gravidez. Só a idade não aumenta a frequência da obstipação, mas as pessoas idosas (especialmente as mulheres) são mais propensas a sofrer de obstipação.

Embora esta condição raramente seja grave, pode conduzir a:

  • Obstrução intestinal;
  • Obstipação crónica;
  • Hemorróidas (uma massa de veias dilatadas em tecido inchado ao redor do ânus);
  • Hérnia (uma protrusão – saliência – de um órgão ou estrutura, através de uma abertura natural ou adquirida numa zona frágil do corpo);
  • Colite Espástica (condição caracterizada por períodos alternados de diarreia e obstipação);
  • Dependência de laxantes.

A obstipação crónica pode ser sintoma de cancro colorretal, depressão, diabetes, diverticulose (pequenas bolsas nos músculos do intestino grosso), envenenamento por chumbo ou doença de Parkinson.

Num idoso ou pessoa com deficiência, a constipação intestinal pode ser um sintoma da impactação intestinal, uma condição mais séria na qual as fezes ficam presas na parte inferior do intestino grosso.

CAUSAS E SINTOMAS

A obstipação geralmente resulta de falta de exercício, consumo insuficiente de água ou de uma dieta que não inclua a quantidade adequada de alimentos ricos em fibras, como feijão, cereais integrais, farelo, frutas, vegetais crus, arroz e pães integrais.

Outras causas de obstipação incluem fissura anal (uma abertura ou fenda no revestimento do ânus); insuficiência renal crónica; cancro do cólon ou retal; depressão; hipercalcemia (níveis anormalmente altos de cálcio no sangue); hipotireoidismo (glândula tireóide hiperactiva); doença que requer repouso completo na cama; síndrome do intestino irritável; stress.

A obstipação também pode ser um efeito colateral de:

  • Sais de alumínio em anti-ácidos;
  • Anti-histamínicos;
  • Medicamentos anti-psicóticos;
  • Aspirina;
  • Beladona (Atopa beladona, fonte de atropina, um medicamento usado para aliviar espasmos e dilatar as pupilas dos olhos);
  • Bloqueadores beta (medicamentos usados para estabilizar batimentos cardíacos irregulares, diminuir a pressão alta, reduzir a dor no peito);
  • Medicamento para a pressão arterial;
  • Bloqueadores dos canais de cálcio (medicamentos prescritos para tratar pressão alta, dor no peito, alguns tipos de batimentos cardíacos irregulares e derrames, e algumas doenças não cardíacas);
  • Diuréticos (medicamentos que promovem a formação e secreção de urina);
  • Suplementos de ferro ou cálcio;
  • Narcóticos (drogas potencialmente viciantes que aliviam a dor e causa mudanças de humor);
  • Antidepressivos tricíclicos (medicamentos prescritos para tratar dor crónica, depressão, dores de cabeça e outras doenças).

Um adulto obstipado pode sentir-se inchado, ter dor de cabeça, abdómen inchado ou passar fezes semelhantes a rochas (secas e duras); ou tensão, sangrar ou sentir dor durante os movimentos intestinais. Um bebé obstipado pode esticar, chorar, puxar as pernas na direcção do abdómen ou arquear as costas ao ter uma evacuação.

TRATAMENTO

É fundamental disciplinar os hábitos alimentares, consumir alimentos ricos em fibra e beber bastantes líquidos. Estas medidas demoram algum tempo a surtir efeito pelo que devem ser acompanhadas.

  • Ingerir alimentos ricos em fibra, tais como: fruta (ameixa, pêssego, kiwi); vegetais (couve, feijão, grão, ervilha, fava); cereais integrais.
  • Adoptar um estilo de vida em que a actividade física esteja presente com regularidade (marcha, ginástica, natação).
  • Rever a medicação em uso de modo a perceber se são eles a causa da obstipação e fazer a alteração da medicação se possível.
  • Toma regular de probióticos para reforçar e estimular a actividade microbiana natural do intestino.
  • Limpeza regular do intestino (hidrocolonterapia) para promover a remoção de fazes antigas, estimular a regeneração do tecido da parede intestinal e estimular o peristaltismo.
PREVENÇÃO

A prevenção da obstipação passa, essencialmente, pela adopção de estilos de vida saudáveis, com a ingestão de alimentos ricos em fibras, ingestão de muitos fluídos (água) e exercício físico regular.

Ter tempo e privacidade no quarto de banho é muito importante, bem como não ignorar o estímulo para a evacuação.

Leave a Reply